Como a inteligência artificial pode melhorar o processo de gestão de ativos digitais

Tempo de leitura: 5 minutos

Inteligência Artificial (ou I.A. para os íntimos) é um termo que, quando é mencionado em qualquer contexto, brilha os olhos de qualquer um. Começou a ser estudada desde os anos 50 e tem inúmeras definições mas a que eu achei mais adequada ao contexto de plataformas DAM foi essa:

“Inteligência artificial é uma capacidade do sistema para interpretar corretamente dados externos, aprender a partir desses dados e utilizar essas aprendizagens para atingir objetivos e tarefas específicos através de adaptação flexível”

extraído do wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Intelig%C3%AAncia_artificial

E, sem que nos déssemos conta, ela já invadiu todos os espaços, todos os setores e vem sendo aplicada em inúmeras finalidades. Para mim, uma das mais incríveis é a aplicação em IoT (Internet das Coisas) mas isso é assunto para outro artigo.

Da mesma forma que a Inteligência Artificial auxilia diversas aplicações a automatizar a aprendizagem repetitiva e a descoberta a partir dos dados, adiciona inteligência no contexto onde é inserida, se adapta através de algoritmos de aprendizagem progressiva e atinge uma precisão excepcional, o mesmo ocorre em plataformas de Gestão de Ativos Digitais (DAM).

Ela é fundamental para acelerar e trazer automação e qualidade ao processo de gestão e distribuição de ativos digitais em diversos pontos.

Vamos a eles:

Identificação de características do ativo digital

Através de inteligência artificial, a plataforma pode identificar todas as características (atributos) inerentes aos ativos digitais (textos, imagens, vídeos, áudios) que estão sendo incluídos na plataforma DAM como cores predominantes, objetos, pessoas, contextos, lugares, palavras-chave, entre diversos outros. Isso facilita a busca avançada quando se tem um grande volume de ativos.

Categorizacão do Ativo Digital

Essa, talvez, seja a aplicação de inteligência artificial que mais traz performance ao processo. Partindo do pressuposto que a I.A. automatiza a aprendizagem repetitiva, ela começa a aprender(*) com a forma como nós categorizamos os dados de acordo com a estrutura de taxonomia criada dentro da plataforma DAM, aprendendo onde e como os itens são classificados dentro dessa taxonomia e automatiza esse processo que, manualmente, é muito demorado. O ganho de performance é nítido principalmente em grandes volumes de ativos. Claro que é sempre bom dar uma conferida mas a margem de erro é mínima.

(*) Isso é o que chamamos de Machine Learning – Tecnologia onde os computadores tem a capacidade de aprender de acordo com as respostas esperadas por meio associações de diferentes dados, os quais podem ser imagens, números e tudo que essa tecnologia possa identificar. Bem isso mesmo!

Sugestão de ativos digitais (Sugestão Amazon)

Eu mencionei a “Sugestão Amazon” que fica fácil de entender. A partir do momento que você busca um ativo digital a I.A. pode ser usada para trazer outros ativos digitais com temas ou atributos semelhantes e ativos relacionados que outras pessoas também buscaram (da mesma forma que a Amazon faz quando você escolhe ou compra um livro). Isso pode facilitar o usuário a criar coleções e atalhos automatizados de ativos relacionados que são sempre usados em conjunto e que facilita também o download ou compartilhamento.

Busca avançada

Eu tenho uma teoria que diz que se você inclui diversos arquivos em um repositório você quer encontrá-los de maneira fácil e é onde a plataforma DAM mais se utiliza de todos os benefícios da I.A. Com a identificação e classificação automatizada dos ativos digitais a busca torna-se um poderoso instrumento para se localizar qualquer ativo de qualquer formato da maneira que quiser. Pode-se buscar ativos digitais por um objeto, ou cor predominante, por um lugar ou monumento, por uma pessoa que tem determinadas características (ex: mulher de óculos e vestido vermelho) e a plataforma lhe trará todos os ativos digitais, sejam textos, imagens, vídeos e/ou áudios que contenham essas características procuradas.

Uso de bots com voice search

Por último e não menos importante é fazer o uso da inteligência artificial para tornar sua plataforma DAM em um meio (aguarde meu próximo post sobre isso) utilizando-se de tecnologias para conectar diversas funcionalidades como, por exemplo, uso de bots em canais como WhatsApp e Telegram facilitando a busca de ativos através de voice search. Neste caso a tecnologia facilita o acesso aos ativos sem que os usuários precisem acessar a plataforma para buscar ativos. Excelente para times de campo que normalmente tem recursos bem limitados de internet e pacote de dados. Isso leva a sua plataforma para um patamar “voice first” e não mais “mobile first” onde a maioria das plataformas DAM ainda estão se adaptando.

Quer saber os benefícios de uma plataforma DAM para Trade Marketing?

Isso é apenas o começo. Conforme a I.A. avança ela “comoditiza” seu uso tornando-se acessível em todos os níveis. A todo momento, surgem novas aplicações para plataformas DAM. Antes de fazer sua escolha verifique se seu fornecedor pode lhe ajudar a melhorar seu processo de gestão dos seus ativos digitais. Será fundamental para trazer-lhe performance e automatização em tarefas longas.

Quer saber qual a diferença entre plataformas de Gestão de Ativos Digitais (DAM) e plataformas de Armazenamento de Arquivos (Cloud Storage)?

Agora que você já sabe como a inteligência artificial pode melhorar o processo de gestão de plataformas DAM descubra como a Yapoli utiliza-se desses recursos:

Uma plataforma DAM inteligente que otimiza a gestão e distribuição de arquivos digitais para a indústria de forma simples, segura, prática, rápida e, principalmente, mensurável.